02 outubro 2016

UM ROTEIRO DE 6 DIAS NO PERU PASSANDO POR LIMA, URUBAMBA E MACHU PICHU

Em maio tive o prazer de visitar o Peru, quem me segue no Instagram pôde acompanhar a viagem por lá, mas por falta de tempo (e inspiração!) só consegui preparar os posts aqui do blog agora!
Como é de costume por aqui, preparei esse post índice para vocês localizarem todos as matérias sobre o destino e entenderem um pouco mais sobre o meu roteiro. Então vamos lá, espero que vocês gostem!


Ao todo passamos 6 dias no Peru, fui com uma amiga, a Babi do blog Fit Food Ideas e como estávamos no Spa Tantien na semana anterior, mal tivemos tempos de planejar a viagem. Mas tudo bem, deu tudo certo e os 6 dias foram suficientes para conhecer um pouco do país e se encantar.

Roteiro
Nosso roteiro escolhido foi 2 noites em Lima, 2 em Urubamba no Vale Sagrado e 2 em Machu Pichu. Para Lima e Urubamba a quantidade de dias foi ok, mas 2 dias em Machu Pichu foi muito, pois alem de visitar o santuário não há  muito o que fazer na região, tiraria um dia lá e ficaria uma noite em Cuzco, cidade que nos arrependemos de não ter conhecido direito, ou acrescentaria mais um dia em Lima.

Transportes
Para realizar o roteiro fizemos 4 trechos de avião, 1 de transfer e 1 de trem.
Como na época da viagem as passagens estavam com o valor elevado, pesquisamos muito antes de comprar, usamos o site Kayak e encontramos o melhor valor no Expedia usando a ferramenta multidestinos, pois fizemos 4 trechos diferentes ( SP>Lima, Lima>Cuzco, Cuzco>Lima e Lima>SP - não existe voo direto de Cuzco para o Brasil). O total saiu por volta de R$1300. Os voos eram da Avianca, mas operados pela Taca, que tem aviões bem mais antigos, sem entretenimento a bordo, mas com mais espaço nas poltronas e serviço de alimentação a bordo (lanche) gratuito.

SP>Lima
Na ida pegamos um voo diurno, saímos de São Paulo às 6 da manhã e graças ao fuso horário, mesmo com as 5 horas de voo de São Paulo à Lima, chegamos de manhã cedinho e pudemos aproveitar totalmente o primeiro dia de viagem.

Lima> Urubamba
Pegamos o primeiro voo de Lima a Cuzco (5:50h às 7:15h) que dura apenas 1:25h. Então contratamos um transfer até Urubamba (2 horas de viagem) com a Alô Urubamba (reservas@alo-urubamba.com) que estava muito bem recomendada no Trip Advisor.

Urubamba> Ollantaytambo
De Urubamba fizemos mais 2 horas de viagem até chegar em Ollantaytambo, cidade da onde sai o trem para Machu Pichu. Para o trajeto usamos novamente o transfer da Alô Urubamba.

Ollantaytambo>Machu Pichu Pueblo.
A única maneira de chegar até Machu Pichu é através do trem, fomos com a Inca Rail, no vagão executivo e a viagem durou cerca de 1:40h

Machu Pichu Pueblo>SP
Foi na volta que erramos, ao todo viajamos 24 horas exatas da saída do hotel até a chegada as nossas casas em São Paulo. Saímos de Machu Pichu no primeiro trem, ás 8h da manhã, de Ollantaytambo pegamos 2h de transfer até Cuzco, onde ficamos algumas horas esperando pelo voo para Lima que era às 16:45 e então mais 4 horas de espera no aeroporto de Lima até pegar o novo voo noturno que saia as 21:55 e chegava às 5 da manhã em São Paulo. Some os trâmites do aeroporto, mais o transito na chegada em SP e então, temos 24 horas de viagem!

Essa parte do deslocamento até Machu Pichu é bem complexa, vocês vão encontrar informações mais completas nos posts listados abaixo.

Cambio
Foi o tempo que o Peru era um país barato para nós brasileiros, a recente desvalorização do real perante o dólar acabou refletindo em todas as moedas, inclusive no Soles Peruano. Se antes os valores de alimentação e passeios ficavam equivalentes ou mais baratos que os brasileiros, atualmente estão bem mais caros. Como tive pouco tempo para planejar a viagem não consegui trocar dólar e acabei viajando com reais, o que foi a pior decisão. Pela cotação oficial as duas moedas estão equivalentes, mas se você procurar soles para comprar aqui no Brasil ele vai sair bem mais caro, assim como se você for trocar o real lá. A cotação que conseguimos e que era a mesma em praticamente todas as casas de cambio, era de 70 centavos de soles para 1 real. A solução é levar dólares daqui, aí sim da para negociar uma taxa de cambio mais favorável, principalmente se você for fazer negocio diretamente com os comerciantes.
Outro motivo para não levar real é que ele não é aceito em lugar nenhum, já o dólar sim! Meu dinheiro em espécie tinha acabado em Machu Pichu e eu não consegui sacar nos caixas, resultado, só pude ir em lugares que aceitavam cartão e fiquei sem comprar nenhum souvenir, afinal as lojinhas não aceitavam cartão.

Hospedagem
Ficamos hospedadas em 3 hoteis diferentes, o B Hotel em Lima (Boutique), Sol y Luna em Urubamba (5 estrelas) e Casa Andina Classic em Machu Pichu (3 estrelas)

Alimentação
Lima está entre as melhores cidades do mundo para comer, a culinária peruana é riquíssima e a capital do país possui vários dos melhores restaurantes da América Latina e do Mundo, como o Central. Por outro lado, em cidades menores as condições de higiene da maior parte dos restaurantes assusta um pouco, então acabando escolhendo restaurantes melhores e consequentemente um pouco mais caros.  O meu conselho é usar o Trip Advisor, foi assim que escolhemos a maior parte dos restaurantes da viagem e acabamos tendo varias surpresas positivas.

Saúde
Para viajar ao Peru é aconselhável tomar a vacina de febre amarela, como programamos a viagem de última hora acabamos não tomando, pois não daria tempo de fazer efeito. Porem a maior preocupação que você tem que tem em relação a sua saúde é com o soroche, mais conhecido por nós como mal da altitude.
Sim, ele existe e não ache que porque você é um atleta ou tem ótimo condicionamento físico que ele não vai te afetar, ouvi vários relatos de pessoas que passaram muito mal, sem parar de vomitar e ficar sem conseguir levantar da cama a viagem toda e por isso me atentei ao que fazer para evita-lo. A recomendação geral é dar um tempo para o corpo aclimatar, principalmente se você for de Lima diretamente para Cuzco. Chegue na cidade e reserve algumas horas para dormir ou pelo menos descansar, beba muita água, chá de coca (não da efeito nem mal algum), evite álcool e comidas pesadas. Fazendo tudo isso você deve passar bem! Ainda assim a altitude é sentida, lá em cima nós cansamos bem mais rápido, basta uma pequena caminhada ou um lance de escada para nos sentirmos ofegantes, então respeite os seus limites e caso isso não seja suficiente, balões de oxigênio estão disponíveis na maioria dos estabelecimentos, assim como uma versão portátil que você pode levar nos passeios.

Acho que consegui passar as informações básicas para quem estiver planejando ir para o Peru, abaixo vocês conferem os posts mais completos da viagem e se você ainda tem alguma dúvida que não foi respondida aqui, não exite em perguntar.

Lima
Roteiro de 2 dias em Lima
Onde comer em Lima: Central, Pescados Capitales
Hotel B
Como pegar taxi em Lima
Como ir do aeroporto até Lima
Huaca Puclana

Urubamba
2 dias em Urubamba
Hotel Sol y Luna
Onde comer em Urubamba : Kaia Café, Paca Paca, Qanela.
Salinas de Maras
Um mercado de rua peruano
Transfer barato e confiável para Cuzco e Vale Sagrado

Machu Pichu
Como chegar e visitar Machu Pichu
Onde Comer em Machu Pichu
Inca Rail, mais barata e mais nova que a Peru Rail

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Blog da Gelly Copyright © 2012 Design by Cantinho do Blog Blogger Template